EXCLUSIVO: MAURINO MAGALHÃES, EX-PREFEITO DE MARABÁ, CONCEDE ENTREVISTA SEIS ANOS APÓS DEIXAR O PODER - VEJA.. - JORNAL FOLHA DO PARÁ

EXTRA

JORNAL FOLHA DO PARÁ

MAIS DE 17 MILHÕES DE ACESSOS

ANUNCIE AQUI NESTE ESPAÇO ESPECIAL - MAIS DE 22 MIL ACESSOS POR DIA - "AQUI JESUS ABENÇOA"

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

EXCLUSIVO: MAURINO MAGALHÃES, EX-PREFEITO DE MARABÁ, CONCEDE ENTREVISTA SEIS ANOS APÓS DEIXAR O PODER - VEJA..

 
 Na noite da última segunda-feira (25), no Debate Carajás, teve uma longa e esclarecedora conversa com o ex-prefeito de Marabá Maurino Magalhães de Lima.


Capixaba, nascido na Vila de Itabaiana, no Espírito Santo, em 6 de março de 1958, governou Marabá no quadriênio 2009–2012. Filiado ao Partido da República (PR), está com 60 anos de idade, mas chegou à prefeitura aos 46, sendo antes vereador em cinco legislaturas (1988, 1992, 1996, 2000 e 2004).
 
Maurino concorreu à reeleição de prefeito em 2012, mas além de sofrer cassação de candidatura durante o processo eleitoral, a má avaliação de sua gestão à frente do Executivo o tirou da disputa principal, terminando em quinto lugar no pleito



 


Carajás Info Boa noite, ex-prefeito Maurino, como o senhor está?


Maurino Magalhães - Agradeço pela oportunidade. Estou bem, graças a Deus, e vendo o que Ele tem para nós.





Carajás Info Ex-prefeito, por onde o senhor andou nesses últimos 6 anos e como tem vivido atualmente?

Maurino Magalhães - Exatamente no dia 30 de dezembro de 2012, terminando o mandato, eu fiz uma viagem a Sabará [Região Metropolitana de Belo Horizonte], em Minas Gerais, porque em 24 anos de vida pública eu nunca tive um descanso. Fiquei hospedado na casa de um primo meu. E depois disso, nesses anos todos, eu tenho estado sempre aqui na Morada Nova.



Carajás Info 
É fato que o senhor saiu debaixo dos holofotes muito antes do término do seu governo, em parte por efeito do controle da imprensa exercido por setores da imprensa. Por onde o senhor anda, as pessoas o param para cumprimentá-lo? Elas sabem quem é o senhor na rua, o senhor tem esse reconhecimento da população?
 
Maurino Magalhães - Eu sou muito bem recebido em todos os lugares que vou, nos quatro cantos da cidade e fora dela; ando de cabeça erguida e com o sentimento de dever cumprido. Nunca foi tão bom andar na rua. Como fui tão criticado pela mídia na época, hoje a população reconhece que não persegui nem prejudiquei ninguém, e conseguimos avançar na Educação. A rejeição diminuiu.

Carajás Info Ao longo de 24 anos de serviço prestado à cidade de Marabá (20 na Câmara e 4 na Prefeitura), que dificuldades, que obstáculos o senhor enfrentou?

Maurino Magalhães - Vinícius, o maior obstáculo que enfrentei foi a discriminação por ser simples, um homem que veio da roça, e ter conquistado a confiança popular. Nunca aceitaram, até hoje.
 



Carajás Info  
Que feitos o senhor destaca e que lições tira dessa longa experiência, em especial dos últimos quatro anos?
 
Maurino Magalhães - A duplicação da Transamazônica; a ampliação do Hospital Municipal; os estacionamentos da Nova Marabá; o Residencial Tiradentes; a regularização fundiária, com Filadélfia e São Miguel da Conquista integrados ao contexto urbano; e tantas outras obras.
 
Carajás Info  O senhor levou Marabá ao ranking das 300 cidades mais dinâmicas do mundo e recebeu certificado na feira Urbantec, realizada na Alemanha. Como o senhor acha que conquistou tamanha honraria?

Maurino Magalhães - Na verdade, Marabá não tinha aterro sanitário e o adequado tratamento do lixo. Conseguimos realizar o tratamento e fomos classificados em terceiro lugar no Brasil, e entre as 300 cidades de 36 países.
 

Carajás Info  O senhor foi o 36º e 37º prefeito de Marabá, isso em função do afastamento do titular e do vice, Sebastião Miranda Filho (PTB) e Ítalo Ipojucan (PDT), respectivamente.
Como se deu o processo de transição e qual foi a sensação de ascender tão repentinamente na hierarquia (de membro do Legislativo a chefe do Executivo)? O senhor atuou, de alguma forma, nos bastidores para que isso acontecesse, mesmo a decisão partindo do Judiciário?

Maurino Magalhães - Eu tinha pleno conhecimento das leis, pois era um vereador atuante e tinha ciência dos problemas de Marabá. Mas não fiz nada para acontecer, pois eu era do grupo do prefeito Tião Miranda. E deu certo.
 

Carajás Info O senhor pretende, algum dia, voltar ao comando da Prefeitura de Marabá ou mesmo à Câmara Municipal? O senhor será candidato em 2020 ou abandonou a política partidária de vez mesmo?

Maurino Magalhães - Eu estou à disposição da população. Tenho uma missão com o nosso povo e nossa gente. Mas como sempre digo, tudo é permissão de Deus.


Carajás Info  Qual a avaliação geral que o senhor faz do seu mandato como prefeito de Marabá? Foi uma gestão positiva ou negativa, sendo sincero?

Maurino Magalhães - Positiva. Eu fiz uma administração voltada aos desenvolvimentos urbano e social, tratando todos da mesma maneira — sem discriminação. A Educação e a regularização fundiária — com a criação do PCCR do magistério, da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU), a duplicação da ponte do rio Itacaiúnas e os estacionamentos da Nova Marabá — foram carros-chefe da urbanização e humanização da cidade.

Carajás Info Quem criou o slogan “O povo governando”, marca da sua gestão? O que a marca pretendia imprimir?

Maurino Magalhães - A equipe da Ascom e eu escolhi. Foi “O povo governando”, mas seria “O povo no poder” — o que não alteraria o sentido —, pois eu sou do povo. Como ex-sindicalista, presidente da Câmara e primeiro vereador como prefeito de Marabá, tratando gente como gente e compartilhando dos mesmos sentimentos do povo, e cuidando dos problemas sociais de modo geral; ricos e pobres iguais no tratamento.
 

Carajás Info O senhor deixou dinheiro em caixa?

Maurino Magalhães - Sim, deixei R$ 130 milhões no caixa, contando com o Ipasemar e um convênio com o Governo Federal, que liberou R$ 46 milhões para a grota criminosa e R$ 65 milhões para a grota do aeroporto. E, ainda, vários convênios em curso.

Carajás Info O senhor disse que gostaria de voltar à prefeitura para provar que sabe governar. Mantém a palavra?

Maurino Magalhães - Eu já provei que sei governar. O governo deu certo; não caiu, mas cresceu em meio à crise mundial.
 
Carajás Info Em matéria publicada pelo então jornal Correio do Tocantins no fim de 2011, o senhor foi o responsável por um inchaço de 40% na folha de pagamento da prefeitura apenas dois meses após assumir o Executivo, em 2009. O valor saltou de R$ 8.115.300,00, em 2008, para R$ 11.443.442,46, isso em fevereiro de 2009. Sua política fiscal foi, portanto, muito arriscada.
O senhor acredita que as contratações em massa que ocorreram naquele período contribuíram para a melhoria dos serviços prestados à população? O senhor acha que foi uma boa decisão, e que não interferiu na profunda recessão de 2011 em diante?

Maurino Magalhães - Sim, com certeza. Marabá virou um canteiro de obras entre 2009 e 2011, período em que eu era o prefeito, com incontáveis investimentos; o município estava avançando com a vinda do Mateus e a inauguração e reinauguração do Shopping Pátio Marabá e Verdes Mares, além da Alpa/Aline, o Gasoduto Marabá–Açailândia e construção de casas populares; projeto Residencial Tiradentes, a maior ação popular da cidade, onde 1.410 famílias foram beneficiadas pelo programa “Minha Casa, Minha Vida”.

Carajás Info  É verdade que o senhor manteve a equipe do governo anterior na prefeitura, e que esta trabalhou contra sua gestão?
 
Maurino Magalhães - Sim, eu mantive boa parte deles, mas fizemos um bom trabalho pela cidade. Em um governo existem erros e acertos. Eu errei tentando acertar.

Carajás Info  O senhor se sente traído por seus correligionários?

Maurino Magalhães - Não me senti traído, pois fiquei sem mandato. É normal passar a liderança para outro, respeitei a decisão.
 

Carajás Info Aproveitando o gancho, o senhor é de direita ou esquerda?

Maurino Magalhães - Nem direita nem esquerda. Sou a favor dos direitos constituídos; pelo fim da desigualdade social; e por um país livre, onde todos possam ter o direito de ir e vir.
 

 
Carajás Info  O que o senhor está achando do governo Bolsonaro?
Maurino Magalhães - Eu quero que o Brasil cresça e dê certo. Torço para que seja bom.

Carajás Info  Que posição o senhor adota com relação à gestão João Salame (2013–2016) e à atual? Avalia esses governos positiva ou negativamente?
Maurino Magalhães - Neutralidade. Cada um tem sua forma de governar, pensar e agir. A população que deve avaliar. Isso não cabe a mim.

Carajás Info  É fato ou fake que o senhor e seu vice cometeram crime de Caixa 2 na campanha de 2008, o que levou à cassação da chapa pela juíza titular da 100ª Zona Eleitoral, Cláudia Regina Favacho Moura, em outubro de 2011, em denúncia formulada pelo PPS?

Maurino Magalhães - Não é verdade, fui inocentado das denúncias do empresário. Tanto é verdade que eu voltei a governar pouco tempo depois. Fui muito perseguido pela minha condição simples.


Carajás Info O senhor teme a Justiça, ser punido por algo? Por exemplo, o senhor teve suas contas de gestão reprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM-PA) no fim de 2017, tendo sido o valor de devolução aos cofres, devidamente corrigido, R$ 28.308.966,46, julgado à revelia.

Maurino Magalhães - De forma alguma, a Justiça está aí para fazer cumprir as leis; eu as acato. Mas primeiro a de Deus. Quando você não deve e tem a consciência tranquila, a Bíblia diz: “Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas”.

 


Carajás Info  O ano de 2011 foi muito difícil para o senhor e sua gestão. Nesse mesmo ano, o senhor moveu um processo contra os blogueiros Pedro Gomes (O Resto do Iceberg), Ademir Braz (Quaradouro), Ribamar Ribeiro (Contraponto & Reflexão), Chagas Filho (Terra do Nunca) e Laércio Ribeiro (Blog do Laércio Ribeiro) pela divulgação de uma montagem que mostrava o senhor como o nazista Joseph Goebbels.
 
O senhor venceu o processo. O juiz César Dias de França Lins condenou os blogueiros a pagar R$ 10 mil ao senhor por danos morais. Qual foi sua reação ao se deparar com a depreciativa imagem?
 
Maurino Magalhães - Meu advogado entrou com o processo e eu ganhei, porém perdoei os agressores, pois quem com ferro fere, com ele será ferido. Não quis indenização.
 




Carajás Info  Para finalizar, que mensagem o senhor deixa ao povo marabaense?
 
Maurino Magalhães - Eu quero agradecer a Deus pela oportunidade de te conceder esta entrevista. Não cai uma folha sequer da árvore sem a permissão do Senhor; se Deus tem o controle das folhas, quem dirá sobre nós, que somos a imagem e semelhança dele. Quero dizer à população e aos amigos que estou à disposição do município como cidadão comum para lutar pelo nosso povo. Muito obrigado, Vinícius e Carajás.Info, que te Deus abençoe muito.
 
Conteúdo de responsabilidade de Vinícus Soares

RELEMBRE ALGUMAS FOTOS DO GOVERNO MAURINO MAGALHÃES (2009/2010/2011/2012)

 
 


  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 



 
 FOTOS JAMES PARAGUASSU > FOLHA DO PARÁ
===========================================================
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here