‘SEMPRE PELA GARAGEM, VIU?’, RECOMENDOU TEMER A JOESLEY - LULA DIZ QUE TEMER "PERDEU CREDIBILIDADE" E PEDE ELEIÇÕES JÁ


Um dos trechos da conversa entre o presidente Michel Temer (PMDB) e o empresário Joesley Batista, da JBS, na noite de 7 de março, no Palácio do Jaburu, recuperados pela Polícia Federal, revelou uma recomendação do peemedebista ao executivo: “Sempre pela garagem, viu?”. A frase consta da perícia da PF, após o pente-fino sobre o arquivo em pendrive entregue como parte da delação de Joesley.
Naquela noite, Joesley e Temer se reuniram por cerca de 40 minutos. Na metade do encontro, o executivo diz ao presidente. “Eu, eu, prefiro combinar assim, ó: se for alguma coisa que eu precisar, tal, então eu falo com Rodrigo, se for algum assunto desse tipo aí…”
O ‘Rodrigo’ a quem Joesley se referia era o ex-assessor especial do presidente e ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMRB-PR). Temer e seu aliado foram denunciados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por corrupção passiva.
A conversa segue.
Temer responde. “Ai você (ininteligivel).”
“É…”, diz Joesley.
Temer: “Pela garagem.”
Joesley: “{Pela} garagem.”
Temer: “(Ininteligível) sempre pela garagem, viu?”
Joesley: “Funcionou super bem, à noite …”
Temer: “É.”
Joesley: “… onze hora da noite, meia-noite, dé … dez e meia, vem aqui.”
Temer: “(Ininteligível). Não tem imprensa.”
Joesley: “A gente conversa uns dez minutinho, uma meia horinha, vou embora.”
Laudo
Em laudo de 123 páginas, os peritos criminais do Instituto Nacional de Criminalística (INC) concluíram que “não foram encontrados elementos indicativos” de que a gravação da conversa entre o empresário Joesley Batista e o presidente Michel Temer “tenha sido adulterada em relação ao áudio original, sendo a mesma consistente com a maneira em que se alega ter sido produzida”.
O áudio foi utilizado entre as provas referidas pela PF para afirmar, no relatório final entregue ao Supremo nesta segunda-feira, 26, que houve o cometimento do crime de obstrução à investigação de organização criminosa por parte de Temer, do ex-ministro Geddel Vieira Lima e do empresário e delator do grupo J&F Joesley Batista.
Defesa
Nesta segunda-feira, 26, o criminalista Antônio Cláudio Mariz de Oliveira reagiu com veemência às conclusões da Polícia Federal que, em relatório ao Supremo Tribunal Federal (STF), atribui ao presidente Michel Temer crime de obstrução de investigações sobre organização criminosa. “O valor jurídico do relatório é nenhum”, declarou Mariz.
LULA DIZ QUE TEMER "PERDEU CREDIBILIDADE" E PEDE ELEIÇÕES JÁ
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta terça-feira (27) que o atual mandatário, Michel Temer, "convoque imediatamente" eleições diretas e deixe o cargo em Brasília.
Em entrevista à Rádio Itatiaia, Lula afirmou que o peemedebista "perdeu a credibilidade" após a delação de um dos donos do grupo JBS, Joesley Batista, que gerou a denúncia da Procuradoria-Geral da República contra ele por corrupção.
"O próprio Temer poderia pedir a antecipação das eleições e a gente poderia escolher antes de outubro de 2018 um novo presidente da República, um novo Congresso, para que o Brasil possa reconquistar a paz, a democracia e a credibilidade de governança que tanto o Brasil está precisando", disse o petista na entrevista.
No entanto, Lula defendeu que "como qualquer outro ser humano", Temer tem que ter o direito de defesa respeitado e que o processo contra ele tenha respaldo jurídico.
A fala de Lula vem um dia após outro ex-presidente, Fernando Henrique Cardoso, pedir a renúncia de Temer e a convocação de novas eleições em um artigo assinado no jornal Folha de S.Paulo .
Ao falar da perda de credibilidade, Lula lembrou da viagem internacional do presidente na última semana e destacou que o Brasil perdeu o protagonismo. "Ele foi recebido pelo diretor do aeroporto em Moscou e pelo terceiro vice-ministro em outro", ironizou sobre as chegadas de Temer na Rússia e na Noruega.
Questionado sobre um dos processos a que responde, o que envolve o "caso tríplex" e que deve ter a sentença anunciada a qualquer momento, Lula afirmou que "fez tudo" para provar sua inocência.
"Se tiver uma decisão que não seja a minha inocência, então não vale a pena ser honesto neste país", disse aos jornalistas.
 
Estadão Conteúdo
__________________________________________________________________________
PATROCINADORES ESPECIAIS
ADRIANO DO EGITO Decorações -- MARABÁ/PA





DOSE EXATA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO -- MARABÁ/PA

OLIVA'S RESTAURANTE -- MARABÁ/PA
MARALUZ -- MARABÁ/PA



















 

About James Paraguassu

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment